Pesquisar

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Quatro dicas para criar sua própria técnica de estudo

   

Foto: Matt Cardy/Getty Images

Você é mais visual, auditivo ou lógico? Saiba como adaptar os estudos conforme o seu próprio perfil


Cada pessoa tem seu próprio ritmo e métodos de aprendizagem, mas quando se trata de estudo nunca é demais uma dica ou outra. Por isso, separamos quatro técnicas de estudo de acordo com os estilos de perfil de casa estudante.

1 - Afinidade com a escrita: se você costuma ter uma boa inteligência verbal, facilidade em escrever e domina os conhecimentos sobre gramática e interpretação de textos, uma boa técnica na hora de estudar é fazer anotações dos conteúdos mais importantes. Também pode ser interessante elaborar fichas - resumo para facilitar a fixação da matéria. Geralmente, pessoas que possuem facilidade com a escrita costumam ter um elevado poder de síntese. Por isso, é interessante saber aproveitá-lo.

2 - Afinidade com os números: em geral, esses estudantes costumam ter mais facilidade nas matérias de exatas, como Matemática e Física. Eles costumam lidar bem com cálculos e têm raciocínio lógico apurado. Na hora de fazer a revisão, eles podem utilizar gráficos, tabelas e, até mesmo, organizar os conteúdos de acordo com uma ordem numérica. A sua lógica também pode ser útil para classificar os assuntos de acordo com categorias.

- Afinidade com elementos visuais: se você tem um perfil mais visual na hora de estudar, provavelmente se encaixa nessa categoria. Estudantes que possuem essa característica costumam ser bastante criativos e têm gosto por assuntos relativos à arte. Na hora de estudar, eles podem usar a habilidade com as imagens para fazer desenhos relativos à matéria no próprio caderno, para memorizar os assuntos mais facilmente. Outra técnica é fazer uma espécie de “cartão de memória” com desenhos relativos ao conteúdo.

4 - Afinidade com a música: em geral, estudantes que possuem inteligência musical costumam ser mais auditivos, tendo um gosto especial pela música, além de muitas vezes apresentarem uma noção de ritmo desenvolvida. Ele pode usar essa habilidade para estudar e, além disso, é capaz de ouvir música enquanto estuda. Pesquisas comprovam, inclusive, que ouvir música clássica pode facilitar o aprendizado.

FONTE: http://noticias.terra.com.br/educacao/